Nattan Carvalho Fotografia de Autor


Daniel Pradeep Singer / Songwriter - Ouça Your Soul Blog (OYS)
Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
Soul - Samba Soul - Neo Soul - R & B - Disco - Funk - Jazz - Blues - Gospel - Hip Hop - Charme
contato: oys.blog@gmail.com

março 11, 2013

Soulful Black Women na Música Brasileira - TOP 10

Daniel Pradeep

No dia Internacional da Mulher 8/Março/2013 eu comecei a minha homenagem as cantoras negras. Primeiramente publiquei minha lista das TOP 10 internacionais no artigo SOULFUL BLACK WOMEN IN THE MUSIC (USA), são elas: 1. Tina Turner, 2. Whitney Houston, 3. Diana Ross, 4. Beyoncé, 5. Donna Summer, 6. Areta Franklin, 7. Toni Braxton, 8. Patti LaBelle, 9. Chaka Khan e 10. Dionne Warnick.


Como um brilhante catálago da mais taletosas mulheres negras do Brasil, o site blackwomenofbrazil faz um apanhado histórico-documenatal dos principais talentos das afrodescendentes no campo das artes em nosso país. Mas mesmo assim resolvi criar minha lista das TOP 10 brasileiras com caráter mais pessoal, o que me deu muito trabalho e me deixou em saia justa devido ao grande número de talentosas cantoras que não pude contemplar. Ainda esta semana publicarei mais uma lista das TOP 10 do Estado do Rio Grande do Sul, onde nasci e vivo até hoje.


A legendária cantora brasileira Elizeth Cardoso nasceu em 16 de julho de 1920 no Rio de Janeiro. De origem humilde, EC exerceu diferentes atividades antes de ser descoberta como cantora aos 16 anos, cabendo destacar o seu trabalho como operária de uma fábrica de sabão desde os 10 anos de idade. Pertencia a uma típica família carioca, que era amante do samba e estava conectada a efervescência cultural da Praça Onze na cidade maravilhosa. Ainda criança, seu dom vocal foi revelado quando subiu ao palco da histórica Kananga do Japão para cantar a marchinha Zizinha aos 5 anos de idade. Em agosto de 1936 fez um teste na Rádio Guanabara e foi contratada. No entanto, só gravou seu primeiro disco aos 30 anos de idade, despontando nas rádios brasileiras. Somam-se mais de quarenta obras em sua discografia. Ela inaugurou a TV brasileira participando do primeiro programa transmitido. Anos depois, em excursão ao Japão em 1987, EC descobriu que possuia um câncer no estômago, mas seguiu sua carreira até sua morte em 1990. Em 1991, o disco póstumo "Todo sentimento" foi lançado pela Sony Music. Durante o início de sua carreira foi muito criticada pela sua condição socia, racial e por ser semianalfabeta, ao cantar clássicos da música, pois esse direito era permitido a elite. No entanto, EC persistiu e se tornou uma das maiores referências da música brasileira. Portanto, merece o TOP 1 das cantoras negras brasileiras porque fez história e abriu caminho para todas que te sucederam.


Elza Soares...O que dizer sobre sua vida? Foi literalmente casada por desejo do seu pai aos 12 anos e aos 13 teve o primeiro filho, que morreu de fome logo após o nascimento. O segundo filho veio aos 14 anos e se foi da mesma forma. Aos 20 seu primeiro marido morreu de tuberculose. Teve que exercer todo tipo de profissão para dar alimentos aos seus 5 filhos. Aos 22 deu a sua menina para uma família bem estruturada financeiramente. A tal família iria criá-la com a promessa de que ES poderia visitá-la sempre que possível, mas foi enganada! Aos 25 ES se apaixonou por um dos maiores ícones do futebol brasileiro, Mané Guarrincha. O Jogador se separou e foi viver com Elza, quem foi amaldiçoada e acusada de acabar com o casamento do MG. Até tomate podre levou por isso. Não bastasse tamanhas tragédias, em 1983 Garrincha morreu de cirrose e a caminho do enterro do pai, o filho de Elza perdeu a vida num acidente de carro com 9 anos. Mas desde cedo, em paralelo ao sofrimento, ES com determinação desenvolveu uma carreira artística ímpar. Com uma carreira de mais de 50 anos, Elza fez shows no EUA e Europa. ES introduziu no seu canto o Scat, sendo comparável a Louis Armstrong. Se tornou uma das mais originais cantoras da música brasileira misturando samba, jazz, bossa e soul. Recebeu indicações ao Grammy Awards e, assim como Tina Turner, ganhou o prêmio de cantora do Millenium pela BBC no ano de 2000, em Londres. Mas concluindo, o que vemos em Elza? Sempre um sorriso contagiante, alegria, energia e bom humor. Por isso essa lutadora recebe o TOP 2.

 

Marrom, como Alcione é conhecida carinhosamente entre seus fãs, já foi considerada a maior cantora brasileira pela estrela norteamericana do R & B e Funk, Chaka Khan. Alcione começou a cantar muito cedo, quando ainda era criança em São Luiz do Maranho, no nordeste do Brasil. Seu pai era policial e participava de uma banda de sua corporação. Em contato com o universo musical do pai, desde moça aprendeu instrumentos de sopro, como trompete e clarinete. Na orquestra do pai, Orquestra Jazz Guarani, ela se apresentou pela primeira vez substituindo o vocalista que estava com problemas na garganta. Mais tarde tornou-se professora, mas foi demitida aos 20 anos por ensinar os seus alunos a tocar trompete. Por meio de um sorteio se apresentou na TV do Maranhão e desde lá nunca parou. Transitando entre o samba, pagode, com pitadas de Jazz e R&B, principalmente nas suas baladas românticas, Marrom ganhou o Grammy Latino (2003), o prêmio da Academia Brasileira de Letras e o Prêmio TIM de Música (2008). Alcione é puro romantismo e fez parte da trilha sonora de muitos amores brasileiros, por isso merece o TOP 3.
 

A carioca Sandra de Sá é considerada a rainha do soul brasileiro. Também recebeu o título dee Tim Maia de saias. Cazuza a comparou a Billie Holliday. Filha de músico, já freqüentava os bailes promovidos pelo Movimento Black carioca na sua adolescência. Inclusive ganhou prêmios como dançarina nos concursos da noite black. Os anos 80 foram muito produtivos para Sandra, destacando-se os sucessos "Vale Tudo", com Tim Maia, "Bye Bye Tristeza" e "Enredo do Meu Samba". SS gravou também um álbum com versões em português de clássicos de Jackson 5, Marvin Gaye e Smokey Robinson. Para isso é necessário muita coragem e você tem de sobra Sandra, até por você recentemente falou sobre sua sexualidade, preconceito e intolerância abertamente no programa de TV coordenado por Roberto Justus. Por isso lhe dou o TOP 4, o lugar preferido por Beyoncé, a essa alma linda da Black Music no Brasil. Te amo Sandra de Sá!!!


Fruto do casamento de uma doceira com um motorista, Margareth Menezes nasceu em região pobre de Salvador, na Boa Viagem. De sua mãe, que gostava muito de samba de roda, vieram suas mais fortes influências musicais. Quando criança, começou a cantar no coral da Igreja da Congregação Mariana da Boa Viagem. Iniciou profissionalmente cantando em bares da cidade, até que um dia foi ovacionada por 1.500 pessoas, junto da Orquestra do maestro Vivaldo da Conceição. Gravou seu primeiro single em 1987 e posteriormente o Long Play "Faraó", que atingiu 100 mil cópias vendidas. Gravou mais de 13 álbuns, sendo que dois chegaram ao topo na Billboard World Albums. Outros renderam  indicações ao GRAMMY Latino e GRAMMY Awards.  Diiiiiiiiiga-me Margareth, que cantora brasileira consegue realizar 21 turnês mundiais? Só você que veio da Boa Viagem minha neeeeeeeegaaaaaa! Que negona brasileira é comparada por um jornal americano (Los Angeles Times) a Aretha Franklin? Só você baiaaaaaaaaana! Que nega porreta poderia cantar com David Byrne? Só você princesa do Egito!!!!!!!!! Por isso você merece um TOP 5.
 

Donna Summer brasileira, assim o "Velho Guerreiro" Chacrinha chamava Lady Zu quando frequentava seu programa de TV (Cassino do Chacrinha), um marco da TV brasileira nos anos 70 e 80. Lady Zu, na verdade é uma paulistana filha de pernambucanos que assina em sua carteira de identidade como Zuleide Santos Silva. Eu ouvi muito essa cantora quando era criança e até hoje sou apaixonado por ela. Com os sucessos como "A noite vai Chegar" e "Disco Dance" ela embalou as pistas brasileiras nos anos 70. Foi a primeira cantora que me fez cantarolar quando menino. Por isso eu tenho a honra de lhe conferir o TOP 6.


Maria José Motta nasceu em Campos (SP) em 27 de junho de 1944 e aos dois anos de idade se mudou com a sua família para o Rio de Janeiro. Começou sua carreira como atriz em 1967, após estudar teatro no Tablado. Como atriz estreiou na peça "Roda-viva", de Chico Buarque. Em 1971 começou a cantar e não parou mais. Aapresentou-se inicialmente como crooner em casas noturnas . O seu primeiro trabalho em estúdio surgiu em 1975, e seguiu com 12 obras fonográficas. Apresentou-se em Hannover (Alemanha), Carnegie Hall de Nova York (EUA), França, Venezuela, México, Chile, Argentina, Angola e Portugal. Atuou em cerca de 40 filmes entre 1970 e 2012, assim como em 28 trabalhos em televisão, entre novelas e miniséries. Zezé Motta sempre cantou e atuou fazendo diferença marcante na história dos afrodescendentes no Brasil. Ela é um ícone pois garantiu o espaço permanente dos negros nas multiplas expressões artísticas brasileiras. Você é simbolo de luta, determinação e de polivalência artística. Então recebá com carinho o TOP 7.


Negra Li nasceu em São Paulo em setembro de 1979, onde se formou como atriz, cantora e bailarina. Começou a carreira como solista em um coral da Universidade de São Paulo. Na sua infância cantava hinos na igreja evangélica Congregação Cristã no Brasil. Na adolescência imitava Whitney Houston, quando começou a se interessar por Black Music. Sua carreira musical iniciou com um grupo de rap chamado RZO. Atuou no filme Antônia (2006), que posteriormente originou um seriado de TV. Também atuou do longa 400 contra 1 (2009), que conta a História do Comando Vermelho. Li ja colaborou com inúmeros artistas de reconhimento nacional e internacional, cabendo destacar o dueto com o cantor pop senegalês Akon. Por isso Negaaaaaaaaaa...TOP 8 pra você!!!!!!!!!!!


 

Você nasceu no mesmo ano que eu Preta, o ano de 1974. Mas eu sou pisciano e você é Leonina temperamental. Dizem que seu pai, Gilberto Gil, foi ao cartório com sua avó branca, vó Wangri.  Ao  registrar você o tabelião disse: “Você não vai poder registrar o nome de sua filha de Preta”. Seeeeeeeeu pai respondeuuuu: "Mas por que? Existem Biancas, Brancas, Claras, Rosas e não pode ter Preta?" Então o tabelião retrucou: "Tudo bem, você vai botar Preta, mas só se botar um nome católico junto." E assim você recebeu seu lindo nome Preta Maria. Até parece que eu estou contando essa história para a Preta Gil néééééé. Eu li isso em um depoimento da própria cantora. Eu não vou escrever aqui sobre seu currículo musical. A sua personalidade fala por si. Divertidíssima, ousada e debochada ela se tornou defensora dos gays. É quase uma mulher bixa, com todo respeito, pela atitude. Colorida e alegre, eu adoro a Preta. Recentemente lançou uma canção estilo Black Music/POP brasileiro que fala de preconceitos e dogmas do mundo atual... Isso é um Luuuuuuxo, um Luxo de Preta ou Luxo da Preta. TOP 9 pra você.

Com três anos de idade acordava cantando no berço segundo relata sua mãe. Dos sete aos dezessete anos estudou pirano. Desde cedo participou de festivais escolares de canto. PL se fomou em Direito e pretendia ser promotora, mas foi a carreira de cantora que seu coração levou a seguir. Foi vocalista nas bandas Unidade Móvel, Grêmio Recreativo Amigos do Samba, Rock, Funk & Soul, Zomba e Funk Como Le Gusta. Além da participação em 3 cds como vocalista de bandas e 4 como convidada, PL gravou 6 cds solo. Sendo que em seu primeiro cd solo "É Isso Aí" dirigido por Bernardo, contou com a colaboração de artistas como: Seu Jorge, Gerson King Combo, Banda Black Rio, Ed Motta, Max de Castro, Ivo Meirelles, Funk'n'Lata e Xis. Além de tudo isso, PL também foi jurada no reality show Ídolos, na Rede Record e atuou no Musical Cats. Paula você trabalhou com grandes ícones da Black Music nesse país já no seu primeiro trabalho solo. Você é poderosa e te admiro muito. Você fecha minha seleção das divas brasileiras com o TOP 10.





Um comentário:

  1. Esta pesquisa é incrível! Parabéns pela iniciativa, Dani!

    ResponderExcluir