Nattan Carvalho Fotografia de Autor


Daniel Pradeep Singer / Songwriter - Ouça Your Soul Blog (OYS)
Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
Soul - Samba Soul - Neo Soul - R & B - Disco - Funk - Jazz - Blues - Gospel - Hip Hop - Charme
contato: oys.blog@gmail.com

abril 26, 2013

Soulful Black Women no Rio Grande do Sul (Brasil) - TOP 10: A Diva Soul Andréa Cavalheiro

Daniel Pradeep

No dia Internacional da Mulher 8/Março/2013 eu comecei a minha homenagem às cantoras negras. Primeiramente publiquei minha lista das TOP 10 internacionais no artigo Soulful Black Women In The Music (USA), são elas: 1. Tina Turner, 2. Whitney Houston, 3. Diana Ross, 4. Beyoncé, 5. Donna Summer, 6. Areta Franklin, 7. Toni Braxton, 8. Patti LaBelle, 9. Chaka Khan e 10. Dionne Warnick. Depois chegou a vez das cantoras brasileiras, Soulful Black Women na Música Brasileira - TOP 10: 1. Eliseth Cardoso, 2. Elza Soares, 3. Alcione, 4. Sandra de Sá, 5. Margareth Meneses, 6. Lady Zu, 7. Zezé Motta, 8. Negra Li, 9. Preta Gil e 10. Paula Lima.

Também iniciei uma série de homenagens às cantoras negras gaúchas. A primeira matéria trouxe um pouco da história da doce voz de Ana Lonardi (Soulful Black Women no Rio Grande do Sul (Brasil) - TOP 10: Doce Voz de Ana Lonardi).  Muitas ainda virão, como LomaZilá Machado, LetíciaMarietti Fialho e Valéria Houston, entre outras, umas mais Soul, outras Reggae, outras Samba, mas todas Blacks.

Agora é vez de Andréa Cavalheiro. Ela não sabe disso, mas a primeira vez que eu a vi cantar, não lembro ao certo, eu deveria ter uns 23 ou 24 anos. Eu estudava na UNISINOSThe Hard Working Band fez um show no Campus. Quando a banda começou a tocar eu fiquei louco por que era o tipo de som que eu adorava ouvir e pensei: - um dia eu quero ser como esses caras! Foi quando eu ouvi Andréa Cavalheiro, nossa Diva Soul, pela primeira vez! Lembro me bem de todos, mas foi sua voz e sua simpatia no palco, também a de Letícia e de Joe, que me envolveram mais, sem desmerecer todos os outros.

É com a Diva Cavalheiro, que eu comemoro hoje três meses do blog OUÇA YOUR SOUL (OYS), relembrando os primórdios de minha paixão pela música e pelo Soul. Infelizmente ou não, eu segui a carreira acadêmica e deixei a música de lado, até que em 2012 eu gravei meu primeiro trabalho solo. Mas isso não é foco agora, eu quero homenageá-la aqui por que sou seu fã e também por fazer parte da minha memória afetiva musical. Graças aquele momento na UNISINOS eu percebi que não estava sozinho e tinha mais gente aqui no Sul que amava a música norte-americana, já que vivia enorme conflito por não me identificar com a MPB, que era a paixão da maior parte dos meus amigos na época.
Andréa Braz Cavalheiro começou a cantar com 11 anos de idade. Não foi por opção, mas sim por que foi obrigada pela sua escola a fazer pelo menos um ano de aulas de canto. Eu pergunto que escola é essa? Deveríamos homenageá-la pela sua contribuição à música no Brasil, pois nos revelaram uma das maiores cantoras do sul do país. Na época, o Projeto Prelúdio, escola de música ligada a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, tinha um ensino direcionado ao erudito, com foco no violão clássico e na teoria musical. Com a revisão curricular, tornou-se obrigatório o ensino de canto coral. Foi um momento crucial para Andréa, que, imaginem, não gostava de cantar. Como iniciante, Andréa fazia aulas pela tarde e após um mês sua professora, a mesma que regia o coral da UFRGS, disse-lhe que aprendia muito rápido - mocinha está na hora de integrar o time de cantores do coral. Andréa ficou surpresa, pois isso só acontecia após aproximadamente dois anos de preparação, quando os coralistas representavam a Universidade em festivais. Mas o seu caminho foi bem mais curto e também, mais curto a sua resistência, pois a música havia lhe conquistada. Como diz Andréa: “fui devorada, única e completa pelo canto!!!!”



Até os 18 anos, a jovem cantou no Projeto Prelúdio e já com esta idade, sua voz tapava todo o naipe possível de coro. Ela cantava com as crianças, mas já tardava o momento de integrar o coro adulto, pois seu timbre não era mais o de uma garotinha. A partir daí, ingressou no Coro Adulto da Universidade. Depois seguiu no Coro 25 de Julho, Decálogo e Iatus. Além da trajetória como coralista, Andréa ainda contou com importantes preparadores vocais em sua formação, como Gisa Volkman, Rosana de Oliveira, Ida Weisfeld e Luciane Bottona. Mas toda essa preparação foi só um trampolim para algo especial que estava por vir. Surgiu um convite que foi determinante em sua carreira! Cavalheiro foi convidada para atuar no time de vocalistas da The Hard Working Band


Nessa fase Andréa encontrou a realização pessoal com o inicio de uma carreira artística mais sólida, mas também teve que esconder do seu pai, que era vivo na época, a sua atuação como vocalista em uma banda. A maioria dos pais tem uma preocupação padrão com o ingresso dos filhos no universo da música e seus respectivos riscos. Cantar na noite e não ter um salário fixo são os riscos mais temidos. Mas isso não impediu Andréa de continuar e atender toda a demanda da banda, que despontou e marcou história no cenário Soul do Sul do Brasil. Hoje, com 17 anos de estrada, The Hard Working Band segue com Cavalheiro, gravou três discos e ganhou vários prêmios. Andréa se tornou uma figura icônica no cenário Soul do Rio Grande do Sul. Sua voz potente faz jus ao seu posto de Diva Soul e não perde para muitas cantoras americanas.

Entretanto, nem tudo foi glória! De acordo com Cavalheiro, "a banda era composta por integrantes muitos jovens que se arriscavam, brigavam, aprendiam a estabelecer metas, viver em grupo, a ganhar e também perder dinheiro, a rir e chorar por nada e por tudo, a vencer os obstáculos mais importantes que eram as suas famílias, que no seu caso, hora acreditando e hora desacreditando, segue com as preocupações, pois sua irmã, que também estudou no Prelúdio, fez vestibular para a faculdade de música e passou!"


Atualmente a guerreira Andréa Cavalheiro (38 anos) só trabalha com música, eventos, shows, jingles, colaborando em gravações com diversos artistas de renome, o que, segundo ela: "gosto muito de fazer, por que aprendo muito com outras pessoas, outros estilos musicais, cantando em lugares com pouca gente, com muita gente, ganhando nada muitas vezes, e outras ganhando muito bem".

Ela ainda relata: "na verdade não posso reclamar, por que a vida me foi muito generosa comigo, presenteando-me com companheiros musicais de bom caráter e excelentes músicos  fazendo com que hoje eu seja reconhecida na maioria dos lugares em que canto, com respeito e carinho" 

Hoje Andréa se prepara para gravar seu primeiro trabalho solo. O CD será produzido pelo reconhecido Max Viana, filho de Djavan, que além de produtor é cantor, compositor e guitarrista. A nossa querida Diva Soul, assim como todos demais artistas independentes deverá obter a verba necessária para viabilizar esta sofisticada produção, que com certeza contará com o melhor time de músicos e compositores do país. Portanto, faço um apelo particular a todos os fãs de Andréa que contribuam para esta produção através do site vaquinha. Desejo todo sucesso a Andréa Cavalheiro e que seu CD sirva para lhe consagrar ainda mais como cantora por esse Brasil a fora!

Nenhum comentário:

Postar um comentário